Tucum é uma das vencedoras do Prêmio Empreender com Impacto Latam, do Mercado Livre

Representante do Brasil na etapa final da segunda edição do Prêmio Empreender com Impacto Latam, a Tucum, representada pela empreendedora Amanda Santana, ficou em segundo lugar dentre seis semifinalistas e recebeu um prêmio de 10 mil dólares para impulsionar o negócio.

O primeiro lugar ficou com o empreendimento Ecocitex, do Chile, que recebeu 20 mil dólares. E na terceira posição, escolha do público, ficou o projeto Cerrando El Ciclo, do México, que recebeu o prêmio de 5 mil dólares.

Os vencedores se destacaram dentre 614 participantes do Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, México e Uruguai. A premiação foi anunciada em um encontro virtual, que reuniu os semifinalistas e o júri composto por referências em empreendedorismo, inovação social e negócios de impacto da região.

A Tucum tem como foco a comercialização de arte tradicional de povos indígenas e ribeirinhos do Brasil, atuando junto a organizações e iniciativas indígenas na formação e capacitação com propósito de promover, valorizar e difundir a diversidade cultural brasileira. 

Com 10 anos de atuação na Amazônia, o empreendimento fomenta a autonomia dos povos indígenas, promovendo geração de renda e autonomia, fixação no território, manutenção da cultura e saberes tradicionais e o reconhecimento e valorização da produção artesanal.

“Muitas pessoas ainda se espantam com o nosso negócio, que é inusitado ao unir povos indígenas ao ambiente digital. Esse prêmio é um reconhecimento muito importante, que mostra que estamos no caminho certo. Queremos quebrar paradigmas e preconceitos. O Mercado Livre é um parceiro na nossa jornada, apoiando, oferecendo conteúdo e dando segurança para seguirmos com energia renovada nessa jornada. E com o Empreender com Impacto vem para fortalecer essa rede de impacto e os pequenos empreendedores que ainda estão por vir”, diz Amanda Santana, criadora da Tucum.

O Empreender com Impacto faz parte da estratégia de sustentabilidade do Mercado Livre e, no Brasil, é articulado pela Consultoria Giral Viveiro de Projeto, e contou com conteúdo produzido a partir da inteligência de mercado do Mercado Livre e da ampla experiência com empreendedorismo e inovação social dos parceiros Semente de Negócios – aceleradora que atua no desenvolvimento de negócios inovadores desde 2011 – e a Coalizão Éditodos – grupo de organizações do ecossistema de empreendedorismo negro, que atua coletivamente para promover o empreendedorismo na base da pirâmide.

Em 2020, o Programa buscou se somar à crescente demanda do ecossistema de empreendedorismo de impacto no Brasil, apoiando empreendedores e empreendedoras no fortalecimento de estratégias comerciais, no acesso a mercados de forma eficiente e sustentável e na potencialização de seus benefícios para a sociedade.

“O Empreender com impacto busca potencializar empreendedores latinoamericanos que geram benefícios sociais e ambientais por meio dos seus negócios, de forma que a vitória da Tucum é bastante simbólica, não apenas pela importância da Amazônia para a América Latina, mas pelo fato de contribuir para a geração de renda e para a conservação da floresta por meio da valorização dos saberes tradicionais” afirma Laura Motta, Gerente de Sustentabilidade do Mercado Livre.

Nova plataforma

A Tucum lançou este mês um marketplace que pretende reunir lojas dos grupos indígenas que produzem artesanato e com os quais vem trabalhando nesses 10 anos de atuação.

As três primeiras lojas são da Galeria Amazônica, loja da Associação Comunitária Waimiri Atroari, da Meprodjá – Arte Kayapó e da Tecê-AGIR, Arte das Guerreiras de Rondônia. A Tucum segue sendo uma das lojas no market place, e comercializa artesanato dos outros grupos até que estejam preparados para terem autonomia com suas próprias lojas.

“Essas iniciativas trabalham há muito tempo com artesanato e agora querem se posicionar online. E a Tucum vai ser essa plataforma, que vai possibilitar que eles realizem esse sonho”, avalia Amanda Santana. Todas as fotos, ensaios e mídia foram feitos pelos grupos indígenas. “Todo o processo foi feito por eles, queríamos que eles sentissem como é o trabalho online e percebessem que só depende deles. Damos suporte sempre que necessário.”

Em outubro, a Tucum deu início a uma experiência de ensino à distância junto a lideranças indígenas: o programa Capacitação de Gestores Indígenas em venda online de artesanato. A iniciativa foi montada a partir da premissa de preparar essas lideranças para efetuarem suas vendas em qualquer plataforma online, seja no marketplace da Tucum, em site próprio ou ainda em redes sociais como Facebook e Instagram. Essas três primeiras lojas são resultado deste trabalho.

A nova plataforma da Tucum traz um mapa do Brasil onde é possível visualizar todas as etnias que trabalham com o empreendimento, a localização dos artesanatos e os impactos causados, dentre muitos outros dados. “Convidamos todos a comprar na floresta por meio da plataforma Tucum e perceber o impacto positivo que isso causa”, celebra Amanda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *