Programa de Mentoria avança entre negócios acelerados

Empreendedores que integram o portfólio do Programa de Aceleração e Investimento de Impacto da PPA estão interagindo com mentores para fortalecer seus negócios.

As mentorias, voluntárias, começaram em julho, e são focadas em áreas específicas apontadas por cada startup acelerada – que são bastante variadas e incluem desde comunicação, marketing, modelos de negócio e gestão, estratégias comerciais e precificação até demandas mais específicas, como aperfeiçoamento de aplicativo mobile, modelagem de sistemas agroflorestais e silvipastoris, estrutura de custos nas cadeias produtivas e microcrédito.

O Programa de Aceleração promoveu uma chamada para mentores voluntários e a partir do match entre as demandas apontadas pelos negócios e os perfis dos profissionais que se inscreveram, indicou mentores para cada área. O número de inscritos – mais de cem – e a qualificação surpreendeu positivamente o coordenador do Programa de Mentorias, Daniel Caramori Alves.

“Obtivemos um ótimo resultado na nossa chamada de mentores, com alto número de candidatos inscritos e profissionais altamente qualificados, contando inclusive com alguns nomes que são referência nacional na sua área de atuação. Dessa forma, conseguimos proporcionar aos negócios do portfólio do Programa de Aceleração a oportunidade de contar com apoio profissional de qualidade que, de outra forma, apenas poderia ser obtido por meio da contratação de serviços, e que pode ter um alto impacto positivo em áreas importantes desses negócios, ” avalia Daniel.

Negócios e mentores avaliam positivamente a experiência

Atualmente, 14 negócios participam do Programa de Mentorias, dois do ciclo de 2019 e 12 do grupo acelerado em 2020. 

Dentre os empreendedores, a avaliação das mentorias tem sido positiva. Como no caso da COEX Carajás, cooperativa extrativista localizada em Parauapebas, no Pará, cuja principal atividade é a extração e a comercialização da folha do jaborandi, e que trabalha também com coleta de sementes. A demanda apresentada foi por modelos de negócio e gestão, o que levou ao match com o mentor Fábio Deboni, do Instituto Sabin, que integra a Plataforma Parceiros pela Amazônia.

“A Mentoria tem trazido soluções aplicáveis para os nossos problemas, além do mentor sempre se preocupar em nos ouvir e nos atender, respeitando nossa identidade. Somos gratos pela atenção e trabalho dedicado a nós”, avalia Jayne Nobre, da COEX Carajás.  

Para Deboni, “atuar como mentor da COEX Carajás foi uma oportunidade ímpar, de aprender com a realidade de uma cooperativa amazônica e, ao mesmo tempo, poder contribuir com reflexões, caminhos e ideias que pudessem fortalecer a gestão da organização. Me identifiquei com os membros da diretoria e tivemos uma sintonia muito boa. ”

O Instituto Ouro Verde (IOV), localizado em Alta Floresta, Mato Grosso, solicitou mentoria em microcrédito. O Instituto atua junto a agricultores familiares fomentando uma rede de colaboração, reforçando a produção e práticas sustentáveis e dinamizando a geração de renda. Atualmente, trabalha na ampliação de ações de microcrédito e de apoio à comercialização de produtos da agricultura familiar.

“Para nós, o processo de mentoria tem sido decisivo. Graças a ele pudemos rever todos os procedimentos internos para a gestão do microcrédito e, inclusive, discutir mudanças em toda a organização do Instituto para dar mais segurança jurídica e eficiência a esta ação. Estamos confiantes de que teremos instrumentos extremamente eficazes para sustentar a ampliação das ações de microcrédito e beneficiar um número cada vez maior de agricultores, ” avalia Alexandre Olival, um dos fundadores do IOV.

Pedro Ananias Alves, da RC Microfinanças, mentor que atua com o Instituto, observa que a relação tem sido extremamente produtiva “no sentido de preparar a instituição para uma operação de maior porte de microcrédito produtivo orientado junto aos produtores rurais da região. É muito gratificante poder apoiar o IOV em sua missão de fomentar melhores condições de trabalho e vida a agricultores familiares, ao mesmo tempo que os induz a práticas sustentáveis de produção. ”

O coordenador do Programa de Mentorias, Daniel Caramori Alves, destaca a importância do envolvimento dos mentores, cujo engajamento voluntário tem proporcionado conhecimento aos negócios do portfólio do Programa de Aceleração da PPA em áreas fundamentais para seu crescimento e evolução. “Eles têm nosso agradecimento especial por ajudarem a construir esse ecossistema de impacto na Amazônia, fortalecendo os negócios que buscam novos paradigmas para a economia da região. ”

Os encontros entre mentores e empreendedores seguem até dezembro. Nos próximos meses serão realizadas também avaliações sobre processos e resultados para o desenvolvimento dos negócios. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *