Jornada digital do Programa de Aceleração em 2020 trouxe aprendizados e oportunidades

Com as limitações impostas pelo isolamento social na pandemia da covid-19, as atividades do Programa de Aceleração da PPA, planejadas em sua maior parte para serem realizadas em encontros presenciais com os empreendedores, foram transformadas em uma jornada digital.

A turma acelerada em 2020 participou de um encontro presencial de cinco dias em fevereiro, imersão fundamental para estabelecer laços entre os empreendedores e também para e elaboração das Teorias de Mudança de cada negócio.

A partir de então, com a epidemia avançando, a coordenação do Programa de Aceleração tratou de buscar alternativas para continuar o ciclo de capacitação previsto para se desenvolver ao longo do primeiro semestre de 2020.

Uma jornada digital foi desenhada, e incluiu ampliação de conteúdo e de facilitadores e parceiros – a não necessidade de deslocamento para encontros presenciais facilitou a compatibilização das agendas – e também a distribuição das atividades ao longo de todo o ano, o que proporcionou mais tempo para a absorção dos conteúdos.

Empreendedores, a equipe do Programa e facilitadores se conectaram por meio de webinars, que proporcionaram, além do compartilhamento de conteúdos, momentos de troca e construção coletiva.

Para a coordenadora do Programa de Aceleração, Ana Carolina Bastida, o novo formato trouxe o desafio de conseguir manter a interação entre os empreendedores e entre os empreendedores, facilitadores e parceiros do Programa, muito rica nos encontros presenciais.

“Essa interação tem sido fundamental para os empreendedores estabelecerem parcerias, trocarem lições aprendidas e experiências, porque vivem a mesma realidade e o desafio de empreender na Amazônia. E a gente conseguiu trazer essa interação, mesmo à distância, por meio dos formatos participativos dos módulos. Os negócios tiveram espaço para interagir e conversar na resolução de exercícios e desafios propostos pelos facilitadores”, avalia Ana.

A jornada digital ofereceu módulos de aprendizado sobre proposta de valor, canais digitais de venda, logística na Amazônia, branding e comunicação, inteligência operacional, planejamento financeiro, gestão contábil e precificação.

Além disso, foram promovidas três rodas de conexão: Empreendedorismo e negócios na Amazônia, com Ricardo Abramovay; Gestão de pessoas e autocuidado, com Regina Erismann; e Exportação de produtos sustentáveis, com Edy Chammah, da Brazil Global.

A coordenação do Programa avalia que o novo formato trouxe mais eficiência por reduzir custos de logística e tempo de deslocamento. E também mais eficiência na absorção do conteúdo em si, pela distribuição mais espaçada dos módulos ao longo do ano.

“ O ciclo de capacitação em formato digital trouxe oportunidade para os empreendedores se conectarem, de vários pontos da Amazônia, a facilitadores parceiros em todo o Brasil. Os encontros ajudaram no processo de organização frente à crise pandêmica, e trouxeram conteúdos e parcerias estratégicas para os negócios, como logística e exportação”, avalia Guilherme Faleiros, analista de novos negócios do Idesam.

Conexão e aprendizados

Workshop realizado em fevereiro, em Manaus

Para Saulo Thomas, da ONF Brasil, as atividades oferecidas contemplaram as necessidades do negócio, em especial os módulos voltados a logística e estratégia organizacional. “Esses aprendizados nos ajudaram a pensar em organizar a casa primeiro, antes de partir para coisas novas. A diversidade dos módulos foi muito interessante, temas como branding e comunicação foram muito novos para nós.”

Maria Eugênia Tezza, da Academia Amazônia Ensina, destaca que o Programa possibilitou o desenvolvimento de habilidades estratégicas para a continuidade do negócio. “Ficou realmente delicada a situação por causa da pandemia, mas com o apoio do Programa de Aceleração da PPA e de nossos expedicionários e expedicionárias, conseguimos passar esse período. A jornada digital trouxe um formato muito interessante, que conseguiu nos manter conectados. Ainda bem que nosso primeiro evento conseguiu ser presencial, para que todos pudéssemos nos olhar e nos sentir parte de um grupo unido em prol de um empreendedorismo consciente e engajado. Isso fez com que as atividades online proporcionassem mais conexão entre nós.”

Após os módulos da jornada digital, nos quais que teve aproveitamento maior no tema de comunicação e branding, a Academia Amazônia Ensina contratou um profissional de comunicação e trabalha atualmente no rebranding do negócio. 

Hélia Félix, da Cacauway, avalia que o novo formato trouxe muito aproveitamento, e ainda possibilitou que mais pessoas da equipe participassem das formações: “Em cada atividade, organizamos pequenos grupos de pessoas que se identificassem com o tema. Foi uma jornada intensa e de muito aprendizado.”

A jornada digital trouxe também a possibilidade de ampliar o número de participantes nas rodas de conexão e outras atividades, reunindo empreendedores do ciclo de 2019 aos do ciclo de 2020, e ampliando ainda mais a interação e a troca entre os integrantes das duas turmas.

Para Tainah Fagundes, da Da Tribu, acelerada em 2019, o Programa possibilitou oportunidades de atualização e de proximidade com as novas iniciativas aceleradas este ano, estabelecendo conexões e a possibilidade de trocas.

Joanna Martins, da Manioca, também acelerada em 2019, destaca a riqueza das atividades oferecidas: “O Programa tem nos ajudado muito em conexões e conhecimento, de uma maneira fora da curva se compararmos a outras iniciativas e grupos dos quais a gente participa. Isso tem trazido enriquecimento e resultados muito positivos para a Manioca”. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *