Programa muda estrutura para atender os empreendedores em meio à pandemia

Com o isolamento social, programas de aceleração em geral tiveram que adequar sua estrutura e oferta, ampliando o uso de espaços virtuais para reunir empreendedoras e empreendedores.

As necessidades mudaram, por diversas razões – seja pela dificuldade dos negócios em comercializar itens no período de isolamento social e ter contato com as comunidades envolvidas nas cadeias produtivas, e do próprio Programa, que previa três encontros presenciais para estreitar os laços dos negócios e promover aprendizado coletivo, e só pôde realizar um, em fevereiro.

O formato digital impôs novas condições e desafios para o ciclo 2020 do Programa de Aceleração. O tempo de atenção coletiva do grupo nos encontros passa a ser mais difícil de ser mantido, e consequentemente, mais valioso. Oficinas de várias horas ou mais de um dia deixam de existir com os ganhos logísticos e de deslocamento. O aporte de conteúdo pode muitas vezes ser alcançado fora dos espaços coletivos. Tendo tudo isso em vista, foi preciso efetuar um resgate e revisão das motivações e propostas de valor do Programa e então trabalhar na construção de uma nova experiência para os empreendedores.

“O cenário de distanciamento social trouxe um desafio adicional à Jornada de Desenvolvimento do Programa, que permitia rica integração e conexão entre os empreendedores. Não se tratava simplesmente de transferir os eventos presenciais para o ambiente digital, mas construir uma  nova dinâmica para garantir a qualidade do conteúdo e a interação dos participantes, ” diz Ana Carolina Bastida, coordenadora do Programa de Aceleração da PPA.

A proposta de valor do Programa de Aceleração foi então desdobrada em novas ofertas e atividades em formato customizado para o ambiente digital, se concentrando em seis pontos: apoio emergencial (clique aqui para conhecer o plano de emergência do Programa); disponibilização e compartilhamento de recursos; articulação e conexão com parceiros; formação e aporte de conhecimento; troca de experiência entre empreendedores; consultoria individualizada.

Foi desenvolvida uma jornada digital a partir das necessidades dos empreendedores e empreendedoras, em oito módulos, cuja adesão depende das particularidades e interesses de cada negócio: Proposta de valor, segmentação de clientes e canais de venda; Planejamento operacional; Novos canais digitais de vendas; Logística na região Norte; Precificação; Gestão Contábil; Planejamento e gestão financeira; Posicionamento de marca e comunicação.

“Para estruturação da cadeia lógica dos módulos, rodas de conexões e demais atividades que compõem agora a jornada digital, contamos com a parceria da Sense-Lab, organização com muita experiência em processos semelhantes. Os temas foram definidos de modo a responder às necessidades atuais e urgentes de cada negócio, considerando o contexto imposto pela pandemia – redução de receitas e necessidade de pensar novas  estratégias para os negócios, ” diz Ana Carolina Bastida.

A jornada digital segue até o mês de setembro. Todos os módulos preveem cinco momentos: envio de conteúdo, webinar, atividade interna, apoio individual de especialista e troca de experiência.

A coordenadora do Programa avalia que os dois primeiros módulos – proposta de valor e soluções logísticas – já apresentam resultados positivos, incluindo momentos de troca de experiência entre os empreendedores durante os encontros online e atendimento individualizado a cada empreendedor para proporcionar a aplicação dos conhecimentos à realidade de cada negócio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *