manioca

Os sabores amazônicos movem o espírito da Manioca Brasil, que busca conectar pessoas à Amazônia por meio de alimentos criativos e naturais elaborados a partir de três princípios: trabalho com ingredientes da região, criação de produtos 100% naturais e promoção do comércio justo com produtores, comunidades, cozinheiros que são a base da culinária paraense.

Criada em 2014 por Joanna Martins, a Manioca já coleciona produtos como as geleias de pimenta de cheiro, de priprioca e de taperebá; o doce de cupuaçu; o molho de tucupi preto e o tucupi temperado; o licor de flor de jambu e o feijão manteiguinha, dentre outros itens que são beneficiados e comercializados pela Manioca. Além de valorizar os produtos da Amazônia paraense, o negócio contribui para o desenvolvimento da cadeia produtiva local e da gastronomia brasileira.

A ideia do negócio surgiu a partir do trabalho de mais de quatro décadas de mãe e filho – o chef Paulo Martins, pai de Joanna, e Anna Maria – que criaram o restaurante Lá em Casa. O modo como Paulo utilizava os ingredientes locais em seus pratos logo chamou a atenção de chefs do Brasil e do mundo, que passaram a buscar tucupi, jambu e outros itens da cozinha regional. Com os pedidos de envio desses ingredientes ‘exóticos’ para diversas partes do país, que eram remetidos pelo chef via correios, a oportunidade de negócios se desenhou.

“Temos atualmente 30 fornecedores, dos quais 14 são produtores da agricultura familiar. Em média, 40% de toda a nossa compra vem da agricultura familiar. Os produtores são selecionados pela qualidade de seus produtos e vontade de crescer. Apoiamos essas pessoas com iniciativas de capacitação, acesso a tecnologias e orientação para melhoria na padronização do produto”, diz Joanna Martins.

A Manioca trabalha também com indústrias que processam os insumos que vêm da agricultura familiar. Desde 2015, o negócio tem registrado uma média de crescimento de 150% ao ano.

Durante o I FIINSA, Joanna participou de uma rodada de negócios no estilo shark tank, conseguindo investimento de R$ 200 mil para capital de giro, plano de comunicação, marketing e expansão de mercado.

o que já se falou sobre o negócio

RAIO-X

Manioca

CIDADE / ESTADO

BELÉM - PA

DATA DE FUNDAÇÃO

NOV 2014

NATUREZA NEGÓCIO

SOCIEDADE LIMITADA

MODELO

B2C

TAMANHO EQUIPE

16 COLABORADORES

PATENTE

SEM PATENTE

FASE DO NEGÓCIO

ESCALA

SOBRE A EMPRESA

Produção e comercialização de alimentos criativos e naturais elaborados a partir da biodiversidade e do comércio justo.

O QUE RESOLVE

Estimula a comercialização dos produtos da região – biodiversidade e agricultura familiar – de modo a promover desenvolvimento regional sustentável, valorizando os atrativos que a floresta oferece.

IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS POSITIVOS

Valorização dos produtos locais. Geração de renda a comunidades rurais e ribeirinhas e desenvolvimento da cadeia produtiva por meio do comércio justo. Desenvolvimento de sistema de gestão de fornecedores e acompanhamento de indicadores de impacto socioeconômico para as famílias.

ODS

OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

TRABALHO DECENTE E CRESCIMENTO ECONÔMICO

INDÚSTRIA, INOVAÇÃO E INFRAESTRUTURA

CONSUMO E PRODUÇÃO RESPONSÁVEIS

PARCERIAS E MEIOS DE IMPLEMENTAÇÃO

PRODUTO
Produtos alimentícios com insumos da Amazônia – doces, geleias, temperos e congelados – para Food Services e pontos de venda de varejo com foco nos estados de SP, PR e RE.

RESULTADOS
Faturamento médio de R$ 80 mil/mês, com 24 toneladas de alimentos vendidas. Margem de lucro de 3-5%. Busca reduzir custos, diversificar mix de produtos e pontos de venda para aumentar essa margem.

IMPACTO

SINALIZA O PROPÓSITO DO IMPACTO?

ACOMPANHA O IMPACTO?

FUNDADORES

JOANNA MARTINS E PAULO MONTEIRO DOS REIS

CONTATO