COOPMEL

O manejo e a conservação de espécies de abelhas nativas da Amazônia resultam em um mel de alta qualidade e ajudam a manter a floresta em pé. É sob essa premissa que trabalham os 62 integrantes da Cooperativa dos Criadores de Abelhas Indígenas da Amazônia (Coopmel), localizada em Boa Vista do Ramos.

O grupo iniciou suas atividades com a meliponicultura há mais de 15 anos, como atividade para geração de renda, desenvolvida em suas próprias casas. No começo, em parceria com a IMAFLORA, a Universidade Federal do Amazonas, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia e o Sebrae, os produtores se organizaram numa associação chamada Acaiá, investindo na capacitação dos integrantes e no desenvolvimento de técnicas de manejo das abelhas e de manipulação do mel.

Com o aumento da produção e do número de integrantes, foi criada a Coopmel, que trabalha exclusivamente com o mel de abelha sem ferrão, que hoje integra a Arca do Gosto, do movimento Slow Food (catálogo mundial que identifica, localiza, descreve e divulga sabores de produtos ameaçados de extinção, mas ainda vivos e com potenciais produtivos e comerciais reais).

As abelhas não são alimentadas com xaropes ou qualquer outro tipo de substância química, e não são utilizados agrotóxicos nas proximidades dos meliponários. Áreas degradadas são recuperadas por plantio de árvores frutíferas nativas, o que auxilia na alimentação das abelhas e, com a polinização, na produção de frutos para consumo e venda.

Os cooperados são homens, mulheres e jovens, agricultores familiares da zona rural, localizados em mais de 12 comunidades rurais em Boa Vista do Ramos e em Maués.

Com uma receita de R$ 22 mil/ano, a Coopmel conta com uma agroindústria de beneficiamento, o Selo do Serviço de Inspeção Estadual (SIE), além de ser já uma marca relativamente conhecida, e está em fase de reestruturação do modelo de negócio, melhoria logística, estratégia de mercado e também busca obter o Selo de Inspeção Federal (SIF) para vender em outros estados do Brasil e em outros países. O negócio tem apoio da Prefeitura de Boa Vista do Ramos e da Nordesta Reflorestamento e Educação.

RAIO-X

COOPMEL

CIDADE / ESTADO

BOA VISTA DO RAMOS - AM

DATA DE FUNDAÇÃO

JUL 2007

NATUREZA NEGÓCIO

COOPERATIVA

MODELO

B2B2C

TAMANHO EQUIPE

62 COLABORADORES

PATENTE

EM PROCESSO

FASE DO NEGÓCIO

ESCALA

SOBRE A EMPRESA

Cooperativa de produção de mel de abelhas nativas.

O QUE RESOLVE

Aumentar a produção de mel, difundir conhecimento sobre a colonização das abelhas sem ferrão – que promove a conservação da floresta amazônica – aumentar a renda das famílias e evitar o desmatamento.

IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS POSITIVOS

Produção de mel próxima das casas e com baixa demanda de trabalho, possibilitando diver- sidade de renda, conservação da floresta, polinização e aumento de renda. Capacitação e visitas técnicas. Em processo de certificação para aumento da produção e comercialização.

ODS

OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

FOME ZERO E AGRICULTURA SUSTENTÁVEL

TRABALHO DECENTE E CRESCIMENTO ECONÔMICO

INDÚSTRIA, INOVAÇÃO E INFRAESTRUTURA

CONSUMO E PRODUÇÃO RESPONSÁVEIS

PRODUTO
O produto possui diferencial de mercado, podendo chegar a R$ 100 o litro, mas é comercializado a valores mais baixos pela dificuldade logística e ausência do SIF. Nicho de produtos medicinais. Atualmente é comercializado em Manaus.

RESULTADOS
Receita atual em R$ 22 mil/ano. Em fase de reestruturação do modelo de negócio, resoluções logísticas, estratégia de mercado e-commerce e acesso ao Selo do Serviço de Inspeção Federal (SIF) para comercialização fora do estado.

IMPACTO

SINALIZA O PROPÓSITO DO IMPACTO?

ACOMPANHA O IMPACTO?

FUNDADORES

JAIR RODRIGUES ARRUDA

CONTATO