Academia Amazônia Ensina

Preparar pessoas para os desafios econômicos, sociais e ecológicos no século 21, tendo a Amazônia como espaço de pesquisa, vivência e aprendizado. Essa é a proposta da Academia Amazônia Ensina (AAE), iniciativa da Original Trade, empresa incubada no INPA voltada ao desenvolvimento de inovação para a sustentabilidade.

Criada em setembro de 2018 por João Tezza a partir da ideia de preparar estudantes e profissionais para as novas habilidades do futuro, a AAE oferece as Expedições Amazônia 21, formações imersivas desenvolvidas para difundir e debater temas relacionados à sustentabilidade. 

As expedições acontecem em dois momentos. O primeiro, na cidade de Manaus, promove visitas a instituições estratégicas, o que possibilita o acesso a especialistas em diversas áreas. No segundo momento, é promovida uma vivência em navegação, visitando áreas de preservação e comunidades ribeirinhas com atividades que envolvem experiências sensoriais e contribuem para um entendimento mais abrangente da região.

“Entendo que a educação está impactada pela nova realidade de estudantes que o mundo digital forjou. Tem muita inovação e ajustes no contexto educacional e quero crer que a experimentação e vivência combinadas com os recursos de virtualização são o caminho a ser explorado”, explica o diretor da AAE, João Tezza, diretor da AAE. “A Amazônia oferece uma experiência sensorial incrível, associada a uma profusão de experiências científicas relacionadas a sustentabilidade, conservação de biodiversidade e serviços ecossistêmicos”, complementa.

As Expedições Amazônia 21 têm diferentes formatos voltados para focos e públicos distintos. Em 2019, foram realizadas duas expedições voltadas a estudantes, envolvendo 29 participantes. No início de 2020 foram promovidas outras duas: uma voltada a startups e uma versão personalizada para uma comitiva de investidores de outros países. 

Embora o público prioritário sejam universidades e centros de capacitação, a iniciativa tem potencial para atender também turistas em busca de experiência na floresta e outros grupos, se moldando a cada caso. Além de disso, a AAE está desenvolvendo módulos de formações com EAD para serem disponibilizados em breve, expandindo o acesso ao conteúdo para um público maior.

Não só participantes das expedições recebem o impacto positivamente no processo, mas também as comunidades visitadas ao longo do processo de imersão, com a valorização de seus saberes e cultura e incremento de renda a partir da comercialização da produção artesanal, serviços de guia e alimentação.

“Temos uma sensação de dever cumprido quando percebemos a troca profunda e verdadeira que as pessoas têm quando estão aqui conosco, seja no campo acadêmico, seja no campo holístico, sensorial, na conexão com a natureza e com as comunidades. E é com certeza uma sementinha que plantamos, pensando em uma sociedade melhor e envolvendo pessoas que, no futuro, podem estar em posições de decisão no país”, avalia Maria Eugenia Rocha Tezza, coordenadora executiva da AAE.

A AAE promove também o evento Amazônia 21, que reúne participantes das expedições e público interessado para debates, degustação de sabores amazônicos e outras atividades, buscando colocar em foco o desafio de conciliar desenvolvimento econômico e conservação do meio ambiente. As duas primeiras edições aconteceram em Curitiba e a terceira deve ser realizada em São Paulo.

RAIO-X

EDUCAÇÃO

DATA DE FUNDAÇÃO

SETEMBRO DE 2018

CIDADE / ESTADO

MANAUS - AM

NATUREZA NEGÓCIO

SOCIEDADE LIMITADA

MODELO

B2C

TAMANHO EQUIPE

4 COLABORADORES

PATENTE

NÃO

FASE DO NEGÓCIO

TRAÇÃO

SOBRE A EMPRESA

Prepara estudantes de graduação e pósgraduação para novas habilidades do século XXI, tendo a floresta Amazônica como pano de fundo e foco principal.

O QUE RESOLVE

As expedições são de formação, complemento e imersão para auxiliar estudantes em suas jornadas acadêmicas, mas também aproximar essas pessoas da Amazônia, incluindo meio ambiente, cultura, economia e oportunidades voltadas à promoção da sustentabilidade.

IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS POSITIVOS

Trinta expedicionários e 200 espectadores em dois eventos Amazônia 21 impactados positivamente pelas intervenções no primeiro ano de operações.

ODS

OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

EDUCAÇÃO DE QUALIDADE

CONSUMO E PRODUÇÃO RESPONSÁVEIS

CIDADES E COMUNIDADES SUSTENTÁVEIS

PRODUTO/MERCADO
Expedições para jovens e adultos na Amazônia – startups, estudantes e outros públicos.

RESULTADOS
Negócio em início de operações. Planejam ampliar o número de expedições anuais.

IMPACTO

SINALIZA O PROPÓSITO DO IMPACTO?

ACOMPANHA O IMPACTO?

FOI ACELERADO?

FOI INVESTIDO?

FUNDADORES

JOÃO TEZZA NETO E MARIA EUGENIA TEZZA

CONTATO